Fotografo: G1/mundo
...
Foto real do fato

Um dia após o começo da recontagem de votos na Flórida, nos Estados Unidos, candidatos republicanos acusaram os democratas de fraude no estado. Eles não apresentaram, porém, provas que sustentem suas acusações. A informação é da agência France Presse.
 
Em uma entrevista à Fox no domingo, o republicano Rick Scott – atual governador e candidato ao Senado – disse que "o senador (democrata Bill) Nelson claramente está tentando fraudar para ganhar a eleição".
 
Scott justificou a acusação argumentando que "93 mil cédulas" foram "encontradas" pelos democratas depois do fim da votação. O número aparentemente incluía muitos votos por correio junto com outras cédulas, que tipicamente se somam ao final.
 
Isso se soma à denúncia de que alguns condados, entre eles o de Broward, de maioria democrata, haviam corrigido em alta a quantidade de cédulas contabilizadas no dia seguinte à votação.
Neste domingo, o senador republicano Lindsey Graham também afirmou que a Comissão Eleitoral do Condado de Broward havia "violado" o código eleitoral.
 
 
No sábado, o próprio presidente Donald Trump – que é do Partido Republicano – insinuou que os democratas estavam tentando "roubar" as eleições na Flórida, sem justificar suas acusações.
 
Tentam ROUBAR duas grandes eleições na Flórida! Estamos de olho!
Recontagem de votos na Flórida
O secretário de estado local Ken Detzner assinou, na tarde de sábado (10), a ordem para a recontagem dos votos na Flórida, uma das eleições mais acirradas dos Estados Unidos.
 
Nos resultados não oficiais, os candidatos do Partido Republicano apareciam à frente dos adversários democratas. A recontagem ocorrerá porque as estimativas mostraram vantagem inferior a 0,5 ponto percentual de um candidato ao outro nas duas situações. 
Para o governo local, o ex-representante Ron DeSantis (R) conseguiu vantagem de pouco menos de 0,5 pontos sobre o atual prefeito de Tallahassee, Andrew Gillum (D). Caso eleito, Gillum será o primeiro negro a comandar a Flórida.
Na disputa para o Senado, ainda mais apertada, o republicano Rick Scott estava a menos de 0,25 ponto percentual à frente do democrata Bill Nelson – que tenta a reeleição.