Fotografo: Radio Tucunaré/acessenoticias
...
Foto real do fato

Os pequenos produtores rurais do projeto Casulo em Juara estão indignados com a pulverização área de agrotóxicos na comunidade, segundo eles tem prejudicado suas produções desde novembro de 2018.

Eles reclamaram que já tomaram providencias e procuraram o Instituto de Defesa Agropecuária (INDEA) e o pode Judiciário par atentar solucionar a questão, mas que até o presente momento, o fato continua e vem tendo prejuízo de forma irreversível a produção, e até mesmo causando problemas de saúde.

Plantações como alface, tomate e outros tipos de verduras de folha larga, não estão mais produzindo, conforme relato dos produtores que concederam entrevista a reportagem da Rádio Tucunaré, isso gera incerteza, porque além de serem prejudicados, eles correrem o risco de pagar indenização a empresa que está pulverizando o veneno via aéreo.

Nós já procuramos o poder Judiciário onde foi feito um acordo, disse um dos produtores, mas o acordo não foi cumprido conforme explicou o produtor Jesuíno dos Santos, e agora se não provarmos que realmente é essa empresa, a gente terá que pagar ressarcimento a eles, sendo que nem renda nós temos, relatou.

O Secretário de agricultura de Juara, Mauro Dirami disse que as providencias por parte da secretaria foram tomadas, e que no ano passado, um engenheiro agrônomo fez um laudo e constatou a presença de herbicidas na terra, o que causou prejuízo a germinação das plantas.

Dirami mostrou preocupação com o caso tendo em vista que os produtores rurais daquela localidade dependem de suas produções para sua sobrevivência e pagas suas custas.

O instituo de Defesa Agropecuária (INDEA) também se manifestou sobre o caso, conforme disse Márcio Rogério, chefe da unidade. Ele explica que  tem aumentado o numero de denúncias sobre a pulverização aérea de agrotóxicos até mesmo nas regiões de fazenda e que as providências estão sendo tomadas dentro da lei, mas que faltam o engenheiro agrônomo do Indea, e isso tem dificultado a agilidade nos trabalhos de apuração nas denúncias. Foi solicitado um técnico a regional e novamente o engenheiro agrônomo deverá vir de Brasnorte para fazer novas vistorias na região.

A reportagem da Radio Tucunaré conversou também com o ministério publico o promotor Dr. Hebert Ferreira e ele disse que já foi instaurado um procedimento para averiguar a situação.