Cidadão Repórter

(66)984617945
Juara(MT), Domingo, 24 de Janeiro de 2021 - 00:10
10/01/2021 as 18:40 | Por BASF | 54
Proximidade do verão reacende o alerta para os cuidados com doenças fúngicas na cafeicultura
Ambas também aparecem mais fortemente em meio ao verão, principalmente, durante o primeiro quadrimestre do ano.
Fotografo: reprodução google
Foto meramente ilistrativa

A proximidade do verão no Brasil, estação marcada por temperaturas elevadas e maiores níveis de umidade, reacende o alerta dos produtores de café para os cuidados com as doenças fúngicas.

Para se ter uma ideia dos prejuízos que elas representam para a atividade, apenas a Ferrugem-do-café, principal doença relacionada à cultura, pode causar perdas acima dos 70% de produtividade, acarretando perda de renda na safra.

Além disso, outras duas doenças também precisam ser consideradas pelos seus impactos representativos para a cultura, que são a Phoma e a Cercospora. Ambas também aparecem mais fortemente em meio ao verão, principalmente, durante o primeiro quadrimestre do ano.

“Esse é o momento ideal para que o produtor de café se prepare para o período considerado favorável para o aparecimento dessas doenças fúngicas que têm reflexos importantes para a cultura no país.

O cafeicultor tem que se antecipar a elas para que evite problemas futuros, não apenas nesta safra, mas na seguinte também”, afirma Renato Fenólio, gerente de território de vendas para o café da BASF.

Fenólio também destaca a importância do controle preventivo para que essas doenças fúngicas sejam controladas e não impactem a safra. “A gente costuma fazer um paralelo entre o controle preventivo e o curativo com o incêndio, visto que quando você chama um bombeiro o fato já aconteceu. Os controles curativos vão controlar a doença, mas o prejuízo já está instalado, enquanto que os preventivos ocorrem ao longo da safra”, explica.

Diante desse cenário, a BASF, empresa com maior portfólio de princípios ativos do mercado para a cultura do café, possui soluções que entregam os melhores resultados para o controle efetivo das principais doenças fúngicas da cafeicultura, contribuindo para a sanidade, qualidade das lavouras e a rentabilidade.

“A BASF possui soluções para o período da florada a formação de chumbinho, como os fungicidas Cantus, Orkestra, Comet e Tutor, ou seja, possui o maior portfólio para esse momento da cultura que é a frutificação, considerando o controle preventivo”, pontua Fenólio. 

Ainda segundo o gerente da BASF, essa variedade de soluções contribui para que o produtor faça alternância de princípios ativos e evite uma possível resistência.

Para saber mais sobre as soluções BASF para o cultivo do café e como adquirir, clique aqui.




Notícias Relacionadas





Entrar na Rede SBC Brasil