Fotografo: Imagem google
...
Foto meramente ilustrativa

Com a possibilidade de pelo menos 50 cidades de Mato Grosso perderem o prazo da votação da reforma da Previdência, que precisa ser entregue à União até sexta-feira, a AMM, Associação Mato-Grossense dos Municípios, articula, em Brasília, a prorrogação do prazo por causa da pandemia do novo coronavírus. 

De acordo com o presidente da AMM, Neurilan Fraga, a entidade trabalha em duas frentes para garantir o adiamento do prazo.

A primeira frente é reforçar junto aos municípios que tem condições, que votem o projeto.

A segunda é a mudança de prazo, pois várias cidades estão tendo apenas sessões remotas e em Mato Grosso sabemos que nem todas as cidades possuem internet de qualidade.

Para Neurilan Fraga a reforma da Previdência precisa de tempo para discussão, inclusive com a sociedade, pois trata de um assunto que passa por comissões e até audiências públicas, que nesse momento está sendo impedida por conta da pandemia. 

Isso dificulta o debate e até a participação do vereador nessa votação importante", lembrou o presidente da AMM.

Se não for aprovado o pedido dos municípios, as cidades vão sofrer sanções do governo federal, como o impedimento de realização de empréstimos, financiamentos e benefícios federais.