Fotografo: Reprodução google
...
Ilustração

A pandemia do Coronavírus (Covid 19) que iniciou na China e se alastrou de forma assombrosa por todo mundo afetando praticamente todos os pais e continentes tem causado um reflexo negativo em todos os setores, principalmente na produção, saúde e economia dos países.

Entre as classes afetadas está o setor produtivo pecuário que vem sofrendo baixa na arroba do boi e suspensão de abates em algumas unidades frigoríficas em alguns estados brasileiros.

Em Juara, o pecuarista Fernando Amado Conte (Nando Conte) 2º vice-presidente da Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat) e também representante da classe pecuária em Juara disse que esse fator deixar os pecuaristas muito preocupados e com uma forma de incerteza sobre a produção, mas destacou que a classe como parte da cadeia produtiva fundamental não vai deixar de produzir e abastecer o País.

Contudo, Nanda deixou claro que existe otimismo e que todos trabalharão unidos para enfrente esse desafio econômico em todos os setores do Brasil.

O declínio da venda do boi chegou a  15% no preço da arroba com a paralisação de algumas unidades frigorificas como a de Juina e Alta Floresta que já vinham trabalhando em escala entre 03 a 04 dias, mas mesmo com esse episodio, ainda não há desespero para venda do boi por parte dos pecuaristas.

A orientação dos representantes da classe pecuária nesse momento é para que os pecuaristas fiquem atentos ao mercado do boi e pratique as vendas de forma escalonada conforme suas necessidades e o mercado estão se adequando a isso, e já era esperado que uma hora ia chegar esse momento, conforme frisou Nando Conte.

Para ele, a força das exportações nesse momento é de retração, porém, é necessário aguardar para saber como irá funcionar o mercado interno.