Cidadão Repórter

(66)984617945
Juara(MT), Domingo, 24 de Janeiro de 2021 - 00:30
10/01/2021 as 18:04 | Por R7 | 60
Material escolar, IPTU e IPVA: como organizar as contas em 2021
Por conta da pandemia e as inseguranças na economia, colocar gastos na ponta do lápis e criar reserva financeira são essenciais.
Fotografo: R7
Foto meramente ilistrativa

O pontapé de 2021 já foi dado e, com ele, chegam alguns gastos que são desafios para o orçamento familiar, especialmente em um cenário de piora na pandemia da covid-19 e seus impactos na economia. 

Leia mais: Preços dos alimentos devem continuar em alta no início deste ano

Para Reinaldo Domingos, PhD em educação financeira e presidente da Abefin (Associação Brasileira de Educadores Financeiros), os obstáculos neste início de ano serão um pouco diferentes de anos anteriores, justamente por conta das incertezas causadas pela crise sanitária.

No entanto, Domingos afirma que colocar os gastos na ponta do lápis é o início para um processo de reeducação financeira. 

"Tem alguns compromissos que são conhecidos, como IPVA, IPTU, material escolar, matrícula, etc. Mas o que é preciso fazer é conhecer a própria realidade", afirma. Eu preciso identificar o que eu tenho, o que tenho para pagar, o que eu tenho para gastar, poupar, realizar neste mês de janeiro."

 

Pensando nisso, o R7 Economize conversou também com a educadora financeira Teresa Tayra, a fim de elaborar dicas de como driblar os desafios do orçamento familiar e começar 2021 sem dores de cabeça. 

Para Teresa, o principal desafio para as famílias brasileiras neste início de ano é "fazer os ajustes necessários em sua vida financeira" (leia mais abaixo).

Planeje-se para além de 2021

Para Reinaldo Domingos, olhar para os próximos 12 meses é necessário, mas não suficiente. Ele explica que qualquer plano de ação para melhorar a saúde financeira das famílias começa com o entendimento de que "as ações do presente determinam o futuro". 

Confira: Bitcoin ultrapassa marca de R$ 170 mil pela primeira vez na história

"Você tem que planejar ações a curto, médio e longo prazo. No plano de ações, você tem que tomar decisões agora, no presente, para ter isso refletido no amanhã e no depois de amanhã. Eu tenho que olhar além de 2021", explica o presidente da Abefin. 

Conforme o educador financeiro, é necessário fazer com que esse planejamento seja dessa forma para que um horizonte "mais próspero" se abra. "Para que possamos tomar uma ação para 2021, temos que fazer com que nossa mentalidade seja no amanhã e depois. Não só olhar para as nossas contas, mas olhar mais esse horizonte, voar um pouco mais. Vai fazer muito bem", reflete. 

Liste gastos

Como apontado pelos especialistas, colocar os gastos na ponta do lápis é um exercício de controle do orçamento familiar, o que pode te impedir de cometer deslizes que venham a comprometer a saúde financeira da sua família. 

Veja também: Franquias apostam em cardápio com opções saudáveis e veganas

"Para algumas famílias a renda foi afetada na pandemia. A análise dos custos de vida é uma necessidade urgente. Faça um levantamento e verifique os itens que possam ser reduzidos ou eliminados para que seu padrão de vida caiba no seu orçamento. Esse é uma atividade a ser feita o quanto antes", reforça Teresa.

Reinvente-se

Ela lembra que o período da pandemia trouxe à tona uma verdade dolorosa: "estabilidade não existe". Tudo pode mudar de uma hora para outra, portanto, uma opção para fugir dos obstáculos é se reinventar, buscar novas formas de fazer negócio e quem sabe, até, mudar de carreira. 

"Estude, se atualize. Muitas pessoas precisaram ir a busca de novos formatos de serviço e modelos de negócios. Observe se seu trabalho ou negócio precisa de adaptar a nova realidade", pontua Teresa. 

Converse com familiares

Revisar possíveis gastos desnecessário é um exercício coletivo, pois incluem todos os membros da família.

Para Domingos, em busca de fazer um plano de ações para melhorar a saúde financeira da sua família, é necessário olhar para dentro. 

"Não sou só eu que preciso olhar para meus gastos, é toda a família. E todos eles colocando também seus objetivos, sua visão a curto, médio e longo prazo", afirma o PhD em educação financeira.

Leia mais: Planos de saúde ameaçam encerrar contratos de clientes inadimplentes

Teresa também reforça a importância do diálogo com familiares, com objetivo de "observar comportamento de consumo e reavaliá-lo". Muita gente percebeu como alguns itens gastam mais estando em casa, outros itens quando estão no escritório. Aproveite a experiência desse período para otimizar seus gastos, sem perder a qualidade de vida", afirma.

"Seja criativo para presentear, seja criativo na cozinha", complementa Teresa.

Tente pagar à vista

Para Reinaldo Domingos, pagar compromissos à vista é uma boa estratégia caso o orçamento familiar permita. Isso porque compromissos como IPVA e IPTU oferecem descontos caso nesta modalidade. 

No entanto, Domingos ressalta que, antes da tomada de decisão, é necessário avaliar "de onde virá esse dinheiro", o que dependerá, invariavelmente, da reserva financeira. 

Crie uma reserva financeira

Tanto Teresa quanto Domingos reforçam a importância de se ter dinheiro guardado, uma reserva financeira, para possíveis imprevistos e eventualidades. 

Segundo a educadora, a pandemia despertou a população para essa necessidade. "Caso não tenha, comece a construir sua reserva para que tenha fôlego para passar para situações imprevistas", afirma. 

Para Domingos, embora a estratégia de pagar compromissos à vista seja indicável, é necessário antes avaliar quanto se tem guardado.

"Se eu tenho R$ 1 mil e vou pagar esses R$ 1 mil no IPVA, por exemplo, vou ficar sem reserva. [Neste caso] A orientação é parcelar os compromissos de início de ano, seja IPVA, IPTU, material escolar. 

"Uma família não pode ficar sem reservas financeiras. Temos necessidade de ter dinheiro guardado para uma possível eventualidade, seja ela problema seja oportunidade. Vale lembrar, todas as minhas reações futuras são atitudes que eu tomo no presente. Eu preciso colocar tudo isso dentro do presente e olhar para frente", completa o presidente da Abefin, Reinaldo Domingos.




Notícias Relacionadas





Entrar na Rede SBC Brasil