Fotografo: Reprodução/google
...
foto meramente ilustrativa

O Brasil fechou o ano de 2018 com 12,2 milhões de desempregados, segundo os dados da Pnad Contínua (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua), divulgada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e 

 

Anteriormente, o R7 havia informado que o país havia encerrado 2018 com 12,8 milhões de desempregados. Porém, esse número de 12,8 milhões se refere à média de desempregados no Brasil no ano passado inteiro. A reportagem,, publicada às 9h01, foi atualizada às 9h12.

No trimestre encerrado em dezembro de 2018, a taxa de desocupação ficou em 11,6%, nível menor do que o registrado no trimestre encerrado em setembro de 2018 — quando ficou em 11,9%. Também houve redução em relação ao mesmo trimestre de 2017, quando a taxa era de 11,8%.

Os grupos de atividades que tiveram aumento no contingente de empregados na comparação com o trimestre anterior foram: comércio (1,5%), transporte (3,4%) e comunicação, informação e atividades imobiliárias e financeiras (1,9%). Para o coordenador de Trabalho e Rendimento do IBGE, Cimar Azeredo, a Black Friday, as eleições e o final de ano aqueceram o mercado de trabalho.

“O aumento na ocupação nesses setores remete principalmente à informalidade, com aumento do trabalho por conta própria. As principais atividades com aumento no período se relacionam com as eleições, a Black Friday e a contratação temporária para o fim de ano, um fenômeno sazonal”, conclui Cimar.

A informalidade cresceu 3,8%, com 11,5 milhões de brasileiros sem carteira assinada. Entre as médias anuais de 2014 para 2018, houve um aumento de 7,8% (mais 811 mil pessoas) nesse contingente.

Seu bolso

O rendimento médio mensal dos brasileiros no período permaneceu estável em R$ 2.254. Portanto, no final do ano passado, este era o valor médio do salário do trabalhador.

No mesmo período de 2017, o rendimento médio era de R$ 2.241 e, como a variação foi pequena de um ano para o outro, o IBGE considera que houve estabilidade. O salário também ficou estável no trimestre encerrado em setembro de 2018, em R$ 2.237. 

Resultados de 2018

Em média, o ano teve 12,8 milhões de desempregados, taxa que ficou 3% menor do que em 2017.

O país bateu recorde de pessoas subutilizadas, com 27,4 milhões de brasileiros nesta situação. Este índice considera as pessoas que não estão trabalhando ou estão trabalhando poucas horas, que poderiam ser mais utilizadas. O salário se manteve estável em 2018, com rendimento médio de R$ 2.243. Em 2017, o valor era de R$ 2.230.

No trimestre encerrado em novembro de 2018, o desemprego atingia 12,2 milhões de brasileiros. O mesmo período no ano anterior registrava taxa de desemprego de 12%. Houve redução de 364 mil desempregados nesta comparação.

Mesmo com a queda, o valor ainda representa quase o dobro do patamar de 2014, antes da crise econômica, quando a taxa de desocupação registrava 6,5%.