Fotografo: Midianews
...
Botelho

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Eduardo Botelho (DEM), disse acreditar que as dificuldades econômicas enfrentadas pelo Estado no primeiro semestre devem prosseguir ao longo deste ano.
 
Números do próprio Governo mostram que os primeiros quatro meses da Gestão Mauro Mendes (DEM) tiveram uma frustração de R$ 173,5 milhões nas transferências correntes do Governo Federal.
 
 
O Executivo esperava receber R$ 1,7 bilhão nesse período. Entretanto, o repasse foi de R$ 1,5 bilhão. A diferença entre o previsto e o realizado é de 10,1%. O Governo acredita que o desaquecimento da economia foi o principal fator para o episódio.
“Eu acho que essas dificuldades ainda vão continuar no segundo semestre. Ainda vai levar um tempo para o Estado sair dessa situação de crise que está”, disse Botelho em conversa com a imprensa.
 
 
Além da queda nos repasses, o Governo enfrenta um estouro da folha salarial de seus funcionários. Enquanto a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) determina que os governos podem gastar 49% de seu orçamento com salários. Entretanto, Mato Grosso gasta 58,55%.
 
 
Por conta disso, pode sofrer algumas sanções do Governo Federal. Uma das primeiras consequências é o fato de a União não ter aprovado o pedido de empréstimo de US$ 250 milhões para pagar uma dívida com o Bank of America. O caso está em análise do Supremo Tribunal Federal (STF).
 
 
Para Botelho, o Executivo não tem, ainda, boas perspectivas para até o final do ano.
 
 
“O gasto é maior do que o que se arrecada. Deve haver um déficit de R$ 1,8 bilhão neste ano. Então, vai demorar ainda para o Estado sair dessa situação de crise que está”, completou.